2018 - Ilta Sanomat

Escrito por Julia . Posted in Entrevistas

Tarja conversou com Ilta-Sanomat a respeito do show que está para acontecer em Helsinki. Esperamos que vocês venham também :)

Tarja Turunen chegou na Finlândia para um show raro e especial, com uma orquestra sinfônica. Ela apresentará suas próprias composições, números musicais e um clássico do Nightwish.

Tarja Turunen nunca foi vista nem ouvida em um concerto como esse na Finlândia. Ela performará um repertório selecionado com o acompanhamento da orquestra Vantaa Pops, no Kulttuuritalo, Helsinki, próxima sexta.

“O repertório possui melodias, um medley e músicas bastante interessantes. Também cantarei algumas músicas que compus, mas o repertório da noite é bastante leve e alegre. Com sorte, as pessoas vão, de tempos em tempos, sorrir um pouco”

Da última vez, Turunen esteve na Finlância durante a tour do Raskasta Joulua, no final do ano passado. Este concerto não contará com músicas natalinas nem hard rock, ainda que o material solo dela vá ser tocado junto com uma música do passado de Tarja no Nightwish.

“Sleeping sun fará parte do repertório – se conseguirmos passa-la nos ensaios, vai valer a pena.”

Tarja Turunen ri enquanto faz o último comentário, porque com certeza ela acha que pode aprontar uma música para performar a tempo. Isso tem feito parte da vida dela por quase 20 anos. Mais que treinamento, isso é sobre colaboração: Ela e a Vantaa Pops poderão praticar apenas no dia da performance e acertar tudo em apenas um ensaio. Claro, isso, com certeza, entre profissionais, não é incomum. A Vantaa Pops, conduzida por Wales Born Nick Davies, é a única orquestra formada por músicos profissionais com foco em música para entretenimento. Eles lançaram um repertório que Turunen já conhece. Para ela, não é algo novo sair de um avião arrumada para um show frente a uma orquestra e audiência: ela tem feito isso por todo o mundo nos últimos anos.  

“Não muito na Finlândia, mas na América do Sul e Europa, especialmente no leste europeu”

É assim que acontece: os representantes de Turunen entregam as partituras das músicas à orquestra, a orquestra ensaia; eles realizam um rápido ensaio em conjunto antes do concerto e vão direto para o palco!

Este concerto finlandês é especial para Turunen. As palavras não soam vazias quando ela fala a respeito do duplo aniversário desse show: A orquestra Vantaa Pops completa 70 anos e o concerto é também a celebração de 60 anos do Kulttuuritalo (prédio que contém um hall para concertos), projetado por Alvar Aalto.“O Kulttuuritalo é uma fonte de orgulho para nós, finlandeses. É uma honra ter sido convidada como solista do concerto de aniversário”

O concerto no Kulttuuritalo e os similares – como Turunen os chama – são vocalmente cansativos para ela.

“Quando eu lanço um álbum de rock e estou em turnê, faço vários shows. Eles são fisicamente cansativos. Mas os shows que faço como solista clássica são ainda mais. Preciso praticar muito antes de shows como esses – e, com certeza, quero fazer isso. Não quero apenas fazer shows de rock.”

“Estou em perfeita harmonia como artista; posso fazer várias coisas: rock e clássico. Sinto-me em casa como musicista e artista, como se estivesse no lugar certo. Sou livre para tomar decisões sobre minha carreira, o que quero fazer e onde quero ir.”

Fisicamente, o lar de Turunen, seu esposo e empresário Marcelo Cabuli e a filha deles – Naomi - é na Espanha. Eles viveram em Buenos Aires, cidade natal de Marcelo, até 2015, até que viajar por todo o mundo começou a ficar complicado. Argentina parecia longe de tudo para uma artista global como Turunen. No final do ano, ela se familiarizará com viagens novamente.

“Estou com medo do quanto demorarei para ver minha família novamente. Em breve, terei duas tours na Europa e outras na América do Sul e do Norte.”

“Choramos os dois”

Tarja Turunen e Marco Hietala performaram juntos na tour do Raskasta Joulua há alguns meses. Aquele foi um grande momento, porque Turunen não esteve no palco com o membro do Nightwish desde 2005. Nesse ano, ela foi demitida no final de uma tour mundial, depois de um show do Hartwall Arena, o que foi uma rara ocasião para a banda finlandesa. A demissão foi feita por meio de uma carta, assinada também por Hietala. Antes do show do Raskasta Joulua, ele nos disse que muito tempo havia passado e que a colaboração funcionaria.

“Todos seguimos com nossas carreiras por mais de uma década. É interessante ver mais da Tarja. Só havíamos nos encontrado em aeroportos, por poucos minutos, quando precisávamos estar em outros lugares.”

Tarja nos diz que tudo correu muito bem.

“Tivemos uma reunião calorosa. Conversamos muito e talvez uma lágrima tenha rolado dos nossos olhos.”