Presos na estrada da Romênia

Escrito por Myla. Posted in What Lies Beneath

Foi muito bom poder começar essa jornada na República Theca, porque nos sentimos muito confortáveis em um grande ensaio com pessoas cuidando da gente, pessoas estas que já conhecemos há vários anos. Os shows em Zlin e Pardubice foram incríveis. Eu fiquei feliz em perceber que tinha muito mais gente nesse show do que em nossas visitas anteriores, então fiquei muito agradecida por isso. Nós tocamos algumas músicas novas do meu futuro álbum nesses shows. Foi muito bom ver que as pessoas as aceitaram tão bem. Acho que foram um sucesso.

Não tive nenhum tempo livre, a não ser para almoçar ou jantar, desde que cheguei a Tcheca. Eu aproveitei a única chance que tive para ver alguma coisa em Pardubice. Estava ventando muito, mas a velha cidade é linda.


Eu esperava me divertir na Polônia e não estava errada. O fã-clube de lá fez para gente algumas bandeiras polonesas com todos os nossos nomes e as penduraram nas paredes da casa de show quando chegamos lá. Foi um gesto muito bonito. Tenho tentado dizer algumas poucas palavras em cada país na língua local durante os shows; ás vezes dou sorte, outras vezes nem tanto...Deus do céu, essas línguas são difíceis! Mas é incrível ver a reação das pessoas quando elas me entendem ;) Nos divertimos muito na Polônia e com o seu público.

Eu fiquei muito contente ao saber que no dia anterior ao show em Vilnius, na Lituânia, os ingressos estavam esgotados. Ótimo! A casa de show era moderna e muito limpa.

Infelizmente, mais uma vez, nós NÃO tivemos tempo de ver a cidade já que chegamos pela manhã, e sempre tem um monte de coisas para se fazer antes do show. Tenho que ter paciência para poder esperar para voltar a cidade de Vilnius. Todo mundo que eu conheço que já visitou a cidade diz que é linda. Mike me disse depois do show que sentiu que o público queria muito nos ver, e que nos queria por perto, e se divertir com a gente. Nós nos sentimos muito bem-vindos.
Eu sempre tive dificuldade de dormir no ônibus, então dessa vez não foi exceção; ou eu precisava “botar” meus fones de ouvido, escutar uma música, ou beber meia garrafa de vinho (coisa que nunca faço se tiver um show no dia seguinte ;)) para poder dormir por algumas horas. Bom, a viagem de Vilnius para Vienna foi looooooooooooonga. Finalmente chegamos ao hotel em Vienna, onde pude fechar os olhos e descansar um pouco. Embora eu tenha um lugar muito legal no ônibus dessa vez. Aqui está ela: minha sala privada. Legal, né?

O show em Vienna foi muito legal, e as pessoas foram muito calorosas. Eu espero poder voltar em breve, com meu novo álbum, para a Áustria. Era o meu país dos sonhos quando eu era criança, e fiz meu primeiro show lá durante a turnê européia do meu coral do ensino médio. O adorável país de Mozart!


Finalmente foi um alívio tocar novamente na Eslováquia. Tivemos uma experiência ruim lá no passado, graças a um produtor irresponsável. Mas dessa vez tudo ocorreu como o esperado, e nos divertimos muito. Aqui estão os fãs eslovacos “botando as mãos para o alto”.

Como eu estava feliz por chegar a Eslovênia no meio do dia, e poder andar pela cidade de Ljubljana enquanto o sol estava brilhando! O dia foi perfeito.

Semprei amei Ljubljana. Gosto do tamanho da cidade, “porque é relativamente pequena, e existe a combinação entre arquitetura moderna e antiga.” Também é uma cidade muito limpa, e obviamente os eslovacos tem muito orgulho do que possuem. Até mesmo nossa moderna casa de show me causou uma boa impressão.

Lá eu pude, pela primeira vez, fazer o que eu amaria fazer em todo lugar: cantar ao vivo entre as pessoas. Foi tão legal ver a reação das pessoas quando desci as escadas e comecei a andar entre eles, cantando. Eu amo fazer essas surpresas nos shows.
Só estive uma vez na Croácia antes, então estava muito ansiosa com este retorno. As pessoas fizeram TANTO barulho durante o show, que às vezes era difícil para mim poder ouvir minha própria voz!!! Bom, eu adorei! Zagreb, obrigada pelo apoio.

Depois do show sabíamos que a viagem para a Romênia seria longa, mas ninguém esperava que ia ser tão longa assim. Na verdade, demoramos 28 horas para ir de Bucareste para Zagreb! Vocês podem imaginar isso? Bem, haviam três pedágios, uma balsa, e uma tempestade de neve que atrasou nossa viagem em pelo menos 16 horas.

Quando chegamos a Bucareste pela manhã, às 06:00, fiquei feliz de termos conseguido chegar a tempo para o show. E o show foi incrível! Fiquei surpresa pela quantidade de gente que lotou o hall.

Também descobri um belo piano nos bastidores, então quis usá-lo durante o meu show.

Todo mundo ficou contente com o show.
E o que a gente menos esperava estava prestes a acontecer.
O lugar onde estou escrevendo este post é muito interessante; estou a apenas 20 km de Bucareste, em um posto de gasolina, sentada na minha sala, sozinha, esperando. Soubemos, ontem à noite, que estava tendo uma grande tempestade de neve entre Bucareste e Sofia, e que TODAS as estradas estavam fechadas, basicamente fechando o tráfico inteiro. Houveram vários acidentes que ainda estão bloqueando o trânsito. Esperamos por avisos do produtor de Sofia, que foi embora apenas algumas horas depois de nós, mas que também precisou parar de viajar por causa da mesma tempestade. Até mesmo nossas bandas de abertura se encontram no mesmo posto de gasolina, onde estamos há mais de 20 horas! Que confusão.

O show em Sofia foi adiado para amanhã, e estamos fazendo o possível, junto com o produtor, para fazer o show acontecer. É como se fosse nosso pior pesadelo. Felizmente temos eletricidade, água e suplementos aqui para gente, então todos estão bem. Eu aviso assim que tivermos novidades.

Com amor, Tarja.

Tradução: Grace Kohlmann